Fique por dentro de todas as novidades. Inscreva-se agora!
x
Preencha os campos abaixo e cadastre-se!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba todos
os materiais do Falando de Proteção em sua caixa de e-mail


home > Dia a Dia > Como Evitar Acidentes de Biossegurança

Como Evitar Acidentes de Biossegurança

Evitar acidentes de biossegurança é vital e pode ser realizado com medidas específicas aliadas à conscientização.

O primeiro passo para evitar acidentes de Biossegurança é construir um mapa de risco que evidencie e conscientize a respeito dos principais perigos.

As medidas para evitar acidentes com Biossegurança podem impedir situações de grande perigo, mas se as pessoas não levarem a sério essas medidas ou se distraírem, elas de nada adiantam. Por exemplo, você pode possuir as melhores luvas, mas se não se lembrar de tirá-las ao colocar a mão na maçaneta, apertar o botão do elevador ou atender ao telefone, estará disseminando contaminação. É preciso antever os problemas a cada segundo.

Já falamos aqui da eficácia de tratar a Biossegurança como aspecto educativo. Agora vamos ver que evitar acidentes de Biossegurança requer alguns procedimentos específicos.

Há 4 classes de riscos biológicos:

CLASSE DE RISCO 1:  agentes biológicos que têm baixa probabilidade de provocar infecções no homem ou em animais, com risco individual e para a comunidade nulo ou bem baixo.

CLASSE DE RISCO 2:  agentes biológicos que infectam humanos e animais, mas com risco individual moderado e limitado em termos de propagação na comunidade e disseminação no meio ambiente. Aplica-se a análises clínicas e laboratórios e envolve agentes desconhecidos.

CLASSE DE RISCO 3: o patógeno pode provocar graves infecções no homem e nos animais e propaga-se de indivíduo para indivíduo. Risco individual alto e limitado para a comunidade. No Risco 3, ainda há medidas terapêuticas e de profilaxia.

CLASSE DE RISCO 4: agentes biológicos que trazem riscos graves para humanos e animais. São altamente patogênicos, propagam-se com facilidade e não dispõem de medidas profiláticas ou terapêuticas.

Acidentes de Biossegurança – Descontaminação e Descarte de Resíduos:

  • É preciso se certificar de que pisos, paredes, vidraças, superfícies e bancadas sejam desinfetados ao menos duas vezes ao dia.
  • O lixo contaminado não deve se acumular, sendo também removido duas vezes ao dia.
  • É preciso que os funcionários da equipe de limpeza, de coleta e prestadores de serviço sejam treinados a respeito dos riscos e situações de emergência.
  • Todos os funcionários da limpeza devem utilizar EPIs e EPCs próprios para protegê-los dos riscos.

Acidentes de Biossegurança – Precauções:

  • Usar os EPIs corretos, como luvas, máscaras, óculos de proteção, capotes e aventais.
  • Nunca reencapar agulhas, nem as quebrar, entortar ou desconectá-las das seringas.
  • Descartar todo o material perfuro-cortante em local adequado, nunca no lixo comum.
  • Certificar-se de que não há agulhas em camas ou berços de pacientes.
  • Nunca usar agulhas no mural para pregar cartazes.
  • Respeitar rigorosamente o limite da capacidade do coletor de material perfuro-cortante.
  • Utilizar luvas de procedimentos para punção venosa e coleta de sangue.
  • Manusear materiais cortantes com calma, atenção e cuidado, nunca com pressa.

Acidentes de Biossegurança – Cuidados Imediatos Pós-Exposição:

  • Procurar orientação para avaliar o risco do acidente logo após o ocorrido.
  • Exposição percutânea ou contato com a pele: lavar bem o local com água e sabão.
  • Exposição de mucosas: lavar bem com água e/ou solução fisiológica.
  • Jamais utilizar éter, hipoclorito, glutaraldeído ou qualquer outra solução irritante.
  • Manter a área exposta protegida, evitando manipulá-la.

Acidentes de Biossegurança – Cuidados com Acidente envolvendo secreção orgânica:

  • Saber imediatamente qual foi o paciente, coletar seus exames e do(s) funcionário(s) com o(s) qual(is) se acidentou.
  • Avaliar necessidade de medicação como, por exemplo, para HIV, vacina imunoglobulina contra Hepatite B, entre outros.
  • Notificar o acidente em protocolo específico, em duas vias, anexar a declaração de testemunhas, protocolar o acidente e encaminhar uma cópia da notificação ao Setor de Biossegurança – Vigilância Sanitária (SESA).
8.261
0
Inscreva-se:
Anterior
Próximo