Fique por dentro de todas as novidades. Inscreva-se agora!
x
Preencha os campos abaixo e cadastre-se!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba todos
os materiais do Falando de Proteção em sua caixa de e-mail


home > Especial > Cinema e Teatro | Os Riscos que Ninguém Vê

Cinema e Teatro | Os Riscos que Ninguém Vê

Veja os perigos e as precauções que rondam os profissionais de cinema e teatro.

Quem trabalha em cinema e teatro precisa cuidar muito da saúde, da voz e do corpo, que por vezes é o próprio instrumento de trabalho. Diversos atores, atrizes e dublês já relataram histórias doloridas sobre acidentes sofridos em cena, em nome do palco ou da sétima arte.

Percalços de Hollywood

No filme Rocky 4, Silvester Stallone amargou 8 dias no hospital, com risco de parada cardíaca por conta de um soco excessivamente realista no set. Em Truque de Mestre, Isla Fisher quase se afogou em um tanque de água porque sua roupa ficou presa a uma corrente. Johnny Depp teve o azar da sela do cavalo se soltar, o que o levou a ser arrastado por 25 metros, no filme O Cavaleiro Solitário. Jason Staham caiu no mar dentro de uma caminhonete por um problema de freio em Os Mercenários 3.Jennifer Lawrence quase foi sufocada por fumaça em um dos filmes da franquia Jogos Vorazes. Tom Cruise quase quebrou uma costela ao filmar sem dublê uma sequência em que ficou pendurado do lado de fora de uma aeronave, a 1.524 metros do chão, no recente Missão Impossível – Nação Secreta. A lista é interminável.

Segurança no Trabalho em Cinema e Teatro no Brasil

Uma pesquisa recente da Unicamp levantou alguns padrões de comportamento e das condições de trabalho em cinema e teatro. Dentre os maiores perigos enfrentados por esses profissionais, de atores e atrizes a eletricistas, contra-regras e camareiros, destacam-se quedas e queimaduras.

Confira os EPIs e recursos para garantir a integridade física de profissionais de cinema e teatro:

Bilheteiros: cadeira com encosto à altura do balcão.

Técnicos de Som: luvas, protetores auriculares, calçado de segurança, ferramentas com isolamento e óculos de proteção.

Técnicos de Luz, Eletricistas e Cenotécnicos: calçado de segurança, luvas, óculos, cadeirinha, corda solteira, ferramentas com isolamento para 1000V, capacete, cintos e mosquetões.

Cenógrafos e Produtores: capacete, suporte para teclado, esteira ergonômica, monitor ao alcance dos olhos, cadeira com encosto e acento com bordas arredondadas.

Atores e Atrizes: Embora usem os mais diversos figurinos, inviabilizando o uso de EPIs durante espetáculos e filmagens, devem usar calçado de segurança durante os ensaios. Os EPIs, dessa forma, devem ser discutidos caso a caso, de acordo com o risco inerente a cada cena.

Principais riscos e funções de profissionais de cinema e teatro

Técnicos em cenografia

São eles que põem de pé o projeto cenográfico, ou seja, o cenário. Envolve o trabalho de carpintaria, serralheria, costura, pintura, escultura e modelagem. Além disso, operam varas elétricas e cenográficas, gruas, cortinas, trilhos e alguns mecanismos de efeitos especiais.

Bilheteiros

Estão constantemente sujeitos a estresse e/ou problemas auriculares por conta da exposição ao ruído intenso.

Camareiros

Trabalham quase sempre em local fechado, a não ser em eventuais sets de cinema ou TV montados a céu aberto.

Cenógrafos

Além de estarem sempre expostos a materiais tóxicos e sofrerem pressão constante, trabalham em ambientes fechados e horários irregulares.

Eletricistas de instalações

Enfrentam grandes alturas, temperaturas muito baixas e muito altas e estão constantemente expostos aos riscos com arco elétrico.

Diretores de fotografia, Iluminadores, Operadores de Câmera e Operadores de câmera de vídeo

Não raro permanecem em posições desconfortáveis por períodos prolongados. Trabalham sob pressão e estão sempre expostos a ruído intenso, altas temperaturas e grandes alturas.

Atores e Atrizes

Das profissões mais dinâmicas que existem, podem enfrentar diversos riscos, dependendo do projeto.

Sobre as Casas de Espetáculo

  • Devem possuir piso sem saliências ou depressões, para facilitar a circulação de pessoas e de materiais.
  • As escadas, rampas e pisos devem suportar as cargas móveis e fixas necessárias para cada espetáculo. Devem também contar com antiderrapantes.
  • A parte externa deve respeitar as normas técnicas referentes a resistência ao fogo, condicionamento acústico, isolamento e isolamento térmico, além, claro de resistência estrutural.
  • Devem possuir pisos e paredes impermeabilizados para evitar umidade, além de proteção contra chuvas.
  • Devem ser construídas de maneira a evitar tanto isolação excessiva quanto falta de isolação.
  • Devem garantir as condições de segurança em eletricidade.
1.148
0
Inscreva-se:
Anterior
Próximo