Fique por dentro de todas as novidades. Inscreva-se agora!
x
Preencha os campos abaixo e cadastre-se!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba todos
os materiais do Falando de Proteção em sua caixa de e-mail


home > Dicas > DDS | Dicas para um Diálogo Saudável

DDS | Dicas para um Diálogo Saudável

Veja como tornar o DDS (Diálogo Diário de Segurança) relevante para você, os funcionários e a empresa.

O DDS (Diálogo Diário de Segurança) é a prevenção de acidentes através da constante atualização de informações fundamentais para manter a integridade física dos trabalhadores nas mais diversas áreas e segmentos. Mas um DDS somente é efetivo se cada um entender a importância da prevenção, colaborar em fazer a sua parte e estiver disposto a fomentar essa conversa.

O DDS costuma ocorrer na primeira hora da jornada. O que para uns pode significar um dissabor matinal, para outros é um momento de reflexão. Uma linha muito tênue separa essas duas realidades. E o que determina de que lado vai estar seu DDS é a relevância, a periodicidade correta e a linguagem dos assuntos abordados.

Veja a seguir algumas dicas para facilitar o diálogo e tornar seu DDS relevante e eficiente.

Mantenha o Foco

Pense em uma pessoa assistindo a um filme. O que lhe prende a atenção? O fio condutor da história. De nada adianta um enredo cheio de efeitos especiais, artistas estrelados e trilha sonora vibrante se a narrativa se perde. E o que acontece com esse espectador? Ele fica bravo? Não, ele  simplesmente para de prestar atenção.

Levemos esse exemplo para o DDS. De nada adianta fazer uma lista gigantesca de assuntos a serem abordados e não abordar nenhum com profundidade. Tudo que você vai conseguir é, em comparação ao filme, oferecer uma narrativa desencontrada e pessoas desatentas. Mantenha o foco, pense em começo, meio e fim para a conversa e procure trabalhar um tema de cada vez.

Diálogo não é Monólogo

Muitos DDS falham por utilizar todo o tempo para o Técnico em Segurança (TS) falar e apenas alguns míseros minutos para o debate. O debate é o mais importante. Reserve um bom tempo para ouvir os trabalhadores. Se eles estiverem tímidos, faça perguntas a eles. Deixe um tempo com folga para que eles possam expressar como se sentem.

Se participarem, certamente estarão mais dispostos a colaborar. Isso pode levar o Técnico de Segurança a descobrir riscos nos quais não havia pensado. E esse debate, de tão rico, pode até mesmo gerar novos temas para outros DDS no futuro e, vindo de quem mais interessa a você: sua audiência.

Atenção ao Título do DDS

O título de um DDS é o primeiro responsável por seu sucesso ou fracasso na adesão. Procure um título atraente, porém simples, sem rebuscar. Se puder, faça uma pergunta. Perguntas sempre chamam mais a atenção do público, pois o cérebro entende que é preciso buscar uma resposta, estimulando o senso de atenção.

O título do seu DDS deve ser curto. Nunca esbanje palavras. Nunca desdobre o assunto antes da hora para se fazer entender. Seja sintético e instigante. Se não conseguiu um título curto, leia-o e pense:

  • Alguém vai se interessar ao ler esse título?
  • Esse título se destaca em um mural com diversos outras comunicações ao redor?
  • Esse Título chama atenção em uma caixa de e-mail lotada?

Se a resposta for não, debruce-se sobre o título do DDS e faça um exercício de redução, buscando torná-lo o mais objetivo e atraente possível. Um título tem de ser competitivo com o que o cerca.

A Importância de um DDS Objetivo

É um erro achar que não se pode instigar e ser objetivo ao mesmo tempo. A ideia é justamente essa. Procure fazer perguntas que instiguem as melhores respostas para abrir o diálogo e tenha jogo de cintura para manter o fio condutor do seu DDS, evitando assuntos paralelos e sabendo trazer de volta o foco quando ele se perder, especialmente no debate aberto. Mas cuidado, você deve fazer isso com muita delicadeza, para não dar a impressão de que só você quer falar.

Uma boa dica quando o assunto se dispersa no debate é chamar alguém da audiência que você tem certeza que vai voltar ao tema, ao invés de ser você a fazer isso. Ou, se algum assunto paralelo fizer relação com algo que você vai falar depois e tenha relação com tema central, saiba improvisar e pegue o gancho no assunto, antecipando-o.

Traga Apoio Visual ao seu DDS

Imagens e recursos audiovisuais economizam palavras, complementam raciocínios e captam mais a atenção das pessoas. Não hesite em trazer fotos, vídeos ou mesmo arquivos de áudio para tornar seu DDS mais dinâmico.

Faça Demonstrações

Mesmo que você pense que os trabalhadores já sabem as normas de segurança de cor, o cotidiano nunca se priva de manias pessoais, idiossincrasias e o jeitinho de cada um de seguir as regras. Isso vai afastando o trabalhador dos detalhes. E, muitas vezes, é nos detalhes que está a segurança.

Use seu DDS para relembrar procedimentos, demonstre como se deve usar o EPI, como NÃO se deve usar o EPI, exemplifique de forma prática procedimentos do dia a dia para trazer de volta cada um desses detalhes que se perderam no caminho.

Discutindo a Periodicidade do DDS

Cada empresa deve ter seu DDS e, como dissemos acima, ele deve ser prático e objetivo. Muitas vezes, o fato de ser diário já arruína esse objetivo por si só.

Claro, em algumas empresas, a conversa diária é uma necessidade, mas será que isso serve para todas? Será que seu DDS não está virando uma obrigação enfadonha? A resposta está na relevância. Pense: tem assunto para todo dia? Se você está em dúvida ou respondeu não, é melhor repensar a periodicidade do seu diálogo de segurança. Ele pode ser mais eficaz se for semanal, ou ocorrer, duas, três vezes por semana? Ou isso concentrará assuntos demais de uma só vez? Cada caso é um caso. Você pode chamá-lo de DS (Diálogo de Segurança) ao invés de DDS, para não se comprometer com um papo diário que faça o assunto se esvaziar.

Procure ter assunto, ser objetivo, captar a atenção e abrir o diálogo. Tudo isso é muito mais importante que fazer o checklist do DDS da vez.

A Importância de Cada Um Fazer Sua Parte

Um DDS não funciona com individualismo. Se o Técnico de Segurança fala porque tem de falar e os trabalhadores ouvem porque têm de ouvir, obviamente não estamos falando de um DDS funcional. E fazer o DDS por obrigação pode expor o TS, levando seus superiores a questionarem seu comprometimento.

Lembre-se: quanto mais uma tarefa se torna obrigatória, maior a taxa de rejeição. Você precisa da atenção dos funcionários, mais que de sua presença. É isso que você tem que buscar, ao invés de obrigar as pessoas a comparecerem cheias de resistência, o que pode tornar tudo pior.

Mesmo se o DDS for obrigatório segundo a política da empresa, você precisa deixá-lo o mais atrativo possível.

Conte com Participações Especiais

Sempre que puder, chame para o seu DDS um especialista convidado, que possa falar sobre sua experiência e compartilhar dicas. Você também pode envolver os funcionários a contarem experiências de segurança bem-sucedidas que tenham a ver com o tema daquele DDS. Isso motivará os funcionários a se empenharem pela própria segurança.

Use Referências Atuais no seu DDS

Sempre que possível, pesquise se o tema do seu DDS não foi assunto na mídia recentemente. Agregue trechos de reportagens, vídeos e artigos para reforçar a credibilidade do assunto. Esse recurso tira o tema do ponto de vista teórico, expondo-o de forma prática e aguçando mais o senso de urgência em seguir as normas de segurança.

27.713
0
Inscreva-se:
Anterior
Próximo