Fique por dentro de todas as novidades. Inscreva-se agora!
x
Preencha os campos abaixo e cadastre-se!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba todos
os materiais do Falando de Proteção em sua caixa de e-mail


home > Dicas > Mapa de Risco: Aprenda como fazer e descubra seus benefícios

Mapa de Risco: Aprenda como fazer e descubra seus benefícios

O Mapa de Risco é mais um aliado na luta contra acidentes. Entenda sua importância e saiba como fazê-lo de modo correto.

Mapa de risco

O Mapa de Risco é uma maneira eficiente de proteger seus funcionários, mostrando claramente os riscos que o ambiente de trabalho pode apresentar. Para conseguir essa visualização, é preciso estudar a empresa de forma efetiva para, assim, chegar a um diagnóstico sobre os perigos de cada de setor.

O Mapa de Risco foi criado na década de 60, pelos italianos, e chegou em terras brasileiras apenas no fim dos anos 70. Com o aumento da produção industrial e do índice de acidentes, logo em seguida, o método começou a ser utilizado nas fábricas e ambientes de industriais e, em 1992, ele se tornou obrigatório. Desde então, o Mapa de Risco é exigido em todos os países em que a CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) está presente e sua ausência pode acarretar em multas de alto de valor.

 

Como fazer um Mapa de Risco?

Cada empresa precisa de um Mapa de Risco adequado para seu segmento, mas alguns itens são comuns a todas, como esses:

  • Reunir informações suficientes para o estabelecimento de um diagnóstico da situação de segurança e saúde no trabalho do estabelecimento.
  • Possibilitar a troca e divulgação de informações entre os trabalhadores e estimular sua participação nas atividades de prevenção.
  • Conhecer o processo de trabalho no local analisado:

Os trabalhadores: número, sexo, idade, treinamentos profissionais e de segurança e saúde.

Jornada de trabalho

Os instrumentos e materiais de trabalho

As atividades exercidas

O ambiente

  • Identificar os riscos existentes no local analisado
  • Identificar as medidas preventivas existentes e sua eficácia, entre elas:

Medidas de proteção coletiva, de organização do trabalho, de proteção individual e de higiene e conforto.

  • Descobrir as queixas mais comuns entre os funcionários expostos aos mesmos riscos, doenças profissionais já diagnosticadas e causas mais frequentes de ausência no trabalho.
  • Ter conhecimento dos levantamentos ambientais já realizados no local
  • O número de trabalhadores expostos ao risco
  • Especificar os agentes, por exemplo: químicos, ergonômicos, biológicos ou de acidentes.
  • Após aprovação da CIPA, O Mapa de Risco deve ser exposto claramente em todos os setores analisados, de maneira que os funcionários possam facilmente ver.

 

Para facilitar a visualização do mapa, os riscos são divididos em cinco grupos,
representados por diferentes cores:

  • Grupo 1- Riscos físicos:

Vibração, Radiação ionizante e não ionizante, frio, calor, pressões anormais e umidade.

  • Grupo 2- Riscos químicos:

Poeiras, fumos, neblinas, gases, vapores, substancias compostas ou produtos químicos em geral.

  • Grupo 3- Riscos Biológicos:

Vírus, bactérias, fungos, parasitas e bacilos.

  • Grupo 4- Riscos ergonômicos:

Esforço físico intenso, levantamento e transporte manual de peso, controle rígido de produtividade, imposição de ritmos excessivos, trabalho em turno noturno, jornadas de trabalho prolongadas, monotonia e repetitividade e outras situações provocadoras de estresses psíquico e físico.

  • Grupo 5- Riscos de acidentes:

Arranjo físico inadequado, máquinas e equipamentos sem proteção, iluminação inadequada, probabilidade de incêndios ou explosões, animais peçonhentos, armazenamento inadequado e outras situações que possam acabar em acidentes.

 

 

Pode até parecer trabalhoso fazer um Mapa de Risco, mas essa medida é feita para servir como um aliado na luta contra os altos índices de acidente de trabalho. Segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho), no Brasil acontecem em média 700 mil casos de acidentes, fora os que não são registrados oficialmente. E de acordo com o Ministério da Previdência, o país gasta em média 70 bilhões de reais anualmente com esse tipo de ocorrência.

divisor

O Mapa de Risco reduz significantemente as doenças e os acidentes porque
conscientiza todos os envolvidos dos perigos apresentados.

Não deixe fazê-lo e  respeitá-lo!

174.568
0
Inscreva-se:
Anterior
Próximo