Fique por dentro de todas as novidades. Inscreva-se agora!
x
Preencha os campos abaixo e cadastre-se!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba todos
os materiais do Falando de Proteção em sua caixa de e-mail


home > Dia a Dia > Profissão: Perigo!

Profissão: Perigo!

Conheça três das profissões mais perigosas do mundo! Além da coragem e treinamento, o uso correto dos EPIs é primordial.

 

 

A maioria das pessoas tem empregos comuns, onde passam a maior parte do dia sentados nos computadores e o maior risco de trabalho que correm é de caírem da cadeira! (risos) Mas para que possamos ficar confortáveis e seguros em escritórios, algumas pessoas tem que se arriscar e muito para manter uma gigante infraestrutura funcionando. É o caso do Eletricista de Linhas de Alta Tensão ou do Mergulhador de Petróleo e também do Alpinista Industrial.

O blog Falando de Proteção by DuPont listou abaixo essas profissões em que a adrenalina é uma constante e o uso do EPIs torna esses heróis em super heróis! Confira:

 

Eletricista de Linhas de Alta Tensão

Esses corajosos funcionários, além de estarem diariamente em contato com cabos de alta tensão, trabalham muitas vezes em estruturas de redes elétricas expostos a grandes alturas. A principal tarefa de um eletricista é instalar e fazer a manutenção de linhas elétricas. Lidar com as linhas de energia, o equipamento utilizado e a subida nos postes são habilidades que esses profissionais precisam ter. Segurança na execução dessas tarefas é crucial. Perigo de sofrer altas voltagens de carga elétrica, explosões e as rajadas de vento pendurados a uma altura que chega a 30 metros, realmente não é para qualquer um!

Veja no vídeo abaixo um trecho emocionante desses eletricistas em ação:

 

Mergulhador de Petróleo

Para se ter uma ideia de quão difícil e complexa é essa profissão, antes de se aventurar nas profundidades do mar escuro, o mergulhador passa pelo processo de compressão dentro da câmara hiperbárica, instalada dentro do navio. Essas câmaras são caixas metálicas com 27 m², com beliches e banheiros, onde a pessoa permanece alguns dias respirando uma mistura de gás hélio e oxigênio e se adaptando à mudança de pressão. Os trabalhos feitos em grande profundidade (de 50 a 320 metros) são sempre realizados em duplas. Da câmara, eles vão para o sino, que irá conduzi-los ao fundo mar. Durante a intervenção, um mergulhador fica no sino e o outro no mar. Ambos estão ligados por uma espécie de “cordão umbilical”, para que o mergulhador que estiver no mar receba água quente, gás hélio, oxigênio, etc. Os mergulhadores só podem permanecer por oito horas fora do sino. O percurso câmara-sino-mar dura 20 dias. Na volta, a pessoa fica mais sete dias na câmara, para a despressurização, ou seja, para que volte à pressão atmosférica normal da superfície. O mergulhador fica 28 dias sem ver a luz do Sol num espaço inferior ao de uma quitinete. Além dos riscos da compressão e da estabilidade psicológica para o confinamento, esses valentes profissionais estão sujeitos as alterações climáticas e ambientais.

No vídeo abaixo, um clipe com os mergulhadores exercendo a profissão e o contato direto que eles têm com a natureza durante o expediente:

 

Alpinista Industrial

Esses prestadores de serviços trabalham vendo o mundo por outro ângulo. Todo tipo de manutenção a metros acima do solo é feita por eles, como limpar janelas de prédios, reformar, pintar paredes, soldas e até transportar pelas alturas mudanças de objetos que não passam pelas portas, como pianos e sofás, entre outros serviços. Muito bem treinados, acostumados a viver pendurados e com o uso correto dos EPIs, esses trabalhadores parecem não se sentir medo durante suas atividades, mas para qualquer outro mortal dá para sentir frio na barriga só de imaginar. Além dos riscos de queda e mau uso dos equipamentos, os alpinistas ficam sujeito a acidentes de vários tipos. No vídeo abaixo, vemos alpinistas trabalhando na Ponte Estaiada, em São Paulo. Cartão Postal da cidade, a ponte ganha enfeites e luzes na época do Natal. O jornal Bom Dia Brasil, da TV Globo, foi conferir o trabalho deles, feito a uma altura de 140 metros!

 

Sentiu medo só assistir a esses vídeos? É por isso que o blog Falando de Proteção by DuPont tira o chapéu para esses trabalhadores, que exercem algumas das profissões mais arriscadas do mundo! E você? Ficou mais feliz com seu trabalho tranquilo na frente do computador ou ficou com vontade de ter mais emoção no seu dia a dia?

1.659
0
Inscreva-se:
Anterior
Próximo