Fique por dentro de todas as novidades. Inscreva-se agora!
x
Preencha os campos abaixo e cadastre-se!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba todos
os materiais do Falando de Proteção em sua caixa de e-mail


home > Especial > Segurança Pública | Principais Avanços

Segurança Pública | Principais Avanços

Confira as principais medidas de segurança pública para lidar com ataques terroristas, tanto na Europa como no Brasil, que se prepara para as Olimpíadas em 2016.

A segurança pública francesa está em choque desde 13 de novembro de 2015, quando se registraram sete ataques terroristas em Paris, deixando centenas de mortos e feridos na sala de espetáculos Bataclan, onde civis foram mantidos reféns e nas cercanias do Stade de France, durante o jogo França x Alemanha. Os ataques, de autoria do Estado Islâmico, levaram o presidente François Hollande a decretar estado de emergência na França. Poucos dias depois, seguiu-se outro alerta de segurança pública: a queda de um avião russo no Sinai, resultado de uma bomba a bordo, segundo informações de serviços secretos.

Europa em Alerta

Londres, Berlim, Viena, Roma e Madri reuniram-se para aumentar suas medidas de segurança anti-terrorismo e garantir a segurança pública. Instituições e locais de interesse franceses tiveram a segurança reforçada. A Bélgica reforçou as fronteiras e pediu publicamente que se evitem viagens à França. O Reino Unido revelou estar preparando o maior exército anti-terrorista já visto em Londres. E a Rússia, já envolvida antes no conflito sírio, colocou a segurança pública em alerta “alto”.

Uma medida de segurança pública importante após ataques terroristas é a investigação sigilosa. A polícia de Bruxelas pediu insistentemente no Twitter que a imprensa não divulgasse imagens ao vivo da intervenção no bairro de Molenbeek-Saint-Jean, na capital belga, onde sete pessoas foram detidas sob suspeita de ligação com os atentados. A transmissão de imagens ao vivo pode ajudar terroristas a fugirem ou a responderem às forças de ordem com maior eficácia.

Sacola Antibomba

Recentemente, um novo sistema de defesa denominado Flybag, financiado pela Comissão Europeia, vem sendo testado em experimentos de impacto antiterrorismo aéreo, consagrando-se como um dos maiores avanços de segurança pública.

O design da Flybag foi desenvolvido para absorver estilhaços e ondas de choque provocados por explosões. Assim, caso o compartimento de bagagem contenha uma bomba, cabe à Flybag conter a arrebentação com segurança. Em testes realizados na Inglaterra, a sacola manteve-se intacta, as explosões no bagageiro foram 100% contidas e nenhum dano a bordo foi causado.

Projetada para lidar com quatro tipos de bomba, a Flybag é revestida de diferentes materiais, entre elas a fibra sintética Kevlar da DuPont, conhecida por sua alta resistência, flexibilidade e leveza, já comprovadas em coletes balísticos. E como essas explosões elevam as temperaturas a 3 mil graus centígrados, a Flybag também é à prova de fogo.

Segurança Pública x Segurança Virtual

Em janeiro, após os atentados contra jornalistas e cartunistas da revista humorística Charlie Hebdo, um grupo de hackers denominado Anonymous declarou-se em ação contra os extremistas, em uma estratégia inédita de segurança pública virtual. Dois dias após os atentados em Paris, eles voltaram a aparecer.

Em uma clara estratégia de desarticular e desestabilizar as comunicações entre os extremistas, a sofisticada rede de hackers do Anonymous derrubou 5.500 contas do Twitter ligadas ao Estado Islâmico e garantiu à imprensa que tem acesso a ferramentas eletrônicas melhores que as de qualquer governo para combater o terrorismo.

Segurança Pública no Brasil

A Copa das Confederações e a Copa do Mundo 2014 deram um salto tecnológico de segurança pública no Brasil. As polícias atuaram em conjunto com as forças armadas, utilizando mais de três mil militares, quinhentas viaturas, oito helicópteros, dois esquadrões de cavalaria e uma seção de cães farejadores, especializados tanto em drogas como em bombas.

Confira os destaques de segurança pública utilizados no Mundial 2014:

  • Robô para desarmar bombas – comandado à distância, transporta uma possível bomba com segurança a um local afastado e a detona com uma contracarga.
  • Trajes antifragmentação – seu material balístico protege de fragmentos com velocidade de projétil, dos pés à cabeça.
  • Braço robótico – protege em caso de explosão de bomba, pois aumenta a distância da pessoa em relação ao objeto.
  • Aparelho portátil de Raio X – de fácil transporte, identifica componentes de bomba sem necessidade de contato físico.
  • Exoesqueletos de policarbonato – feito para cobrir tórax, ombros, genitais, pernas e braços em operações especiais. Usado com capacete e máscara de gás, protege o corpo inteiro.

Segurança Pública nas Olimpíadas 2016

Os Jogos Olímpicos 2016 contarão com visitas de diversos chefes de estado ao Rio de Janeiro, incluindo alguns de países em conflito ou que são alvos frequentes de ataques. Por isso, cinco equipes, incluindo o esquadrão anti-bomba, já estão em treinamento de segurança pública para utilização de recursos tecnológicos que simulam uma grande diversidade de ataques em todas as suas possibilidades.

O esquema deve aproveitar a experiência de 2014, mas contará com uma equipe maior e treinamento mais intensivo. O esquema da Copa, com os robôs, aparelho de Raio X e roupas antifragmentos, será mantido e reforçado.

719
0
Inscreva-se:
Anterior
Próximo