Dia a Dia

O que acontece com o corpo após um choque elétrico? E como evitar?

Receber uma corrente elétrica no corpo humano pode causar sequelas irreversíveis ou até danos fatais com um choque elétrico. Segundo as últimas pesquisas realizadas pela Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (ABRACOPEL), em 2018 foram registrados 1424 acidentes ocasionados por correntes elétricas no Brasil. É primordial entender que um choque elétrico só acontece se houver um circuito completo, ou seja, se a eletricidade passar por dois pontos – positivo e neutro – gerando um fluxo de corrente elétrica.

Como medir o fluxo de corrente elétrica no corpo humano?  

Quando um corpo se torna parte de um fluxo de corrente, a intensidade pode ser medida de três maneiras:

  • Intensidade do fluxo de corrente elétrica através do corpo;
  • O caminho que esse fluxo de corrente faz enquanto passa pelo corpo;
  • O tempo que o corpo fez parte da corrente elétrica.

Nosso corpo não possui nenhuma proteção interna contra descargas elétricas. Porém, há alguns fatores que podem ser cruciais para determinar a quantidade de fluxo de corrente que passará por ele. São eles:

  • Condição física;
  • Umidade da pele;
  • Constituição orgânica entre homens e mulheres.

Importante: quando a resistência da pele é quebrada, a eletricidade penetra cada vez mais rápido por meio da corrente sanguínea e dos tecidos que envolvem o corpo. É sempre importante lembrar que conforme a voltagem da descarga aumentar, menor será a resistência da pele.

Quais são as consequências mais graves de um acidente ocasionado por uma corrente elétrica?

  • Parada respiratória, pois a contração do músculo se torna tão intensa a ponto de bloquear a circulação interna do ar;
  • Parada cardíaca, também motivada pela contração dos músculos;
  • Fibrilação cardíaca – quando os batimentos ficam em ritmo rápido e irregular, impedindo o coração de bombear sangue;
  • Hemorragia e perda de tecidos musculares e nervos, ocasionados pelo calor do choque elétrico.

A gravidade das consequências varia de acordo com o fluxo de corrente elétrica. Então, quanto menor a voltagem da corrente e mais rápido a pessoa for socorrida, mais brandas podem ser as sequelas. Algumas delas são náuseas, queimaduras, tonturas, alteração do batimento cardíaco, formigamento e ardência.

Agora que já entendemos como uma corrente elétrica pode se manifestar no corpo humano e suas consequências, chegou a hora de entender como evitar esse tipo de acidente.

4 maneiras de evitar acidentes por corrente elétrica

  1. Seguir a NR10 (Norma que tem o objetivo de garantir a segurança dos trabalhadores que possuem alguma interação com materiais que demandam eletricidade);
  2. Realizar manutenções periódicas das ferramentas de trabalho, garantindo que o colaborador possa desempenhar sua função com segurança e tranquilidade;
  3. Fornecer treinamentos de segurança aos colaboradores é uma atitude de extrema importância para capacitá-los a usar todos os recursos da indústria com cautela, diminuindo as chances de ocorrerem acidentes.
  4. Utilizar equipamentos de proteção: cada atividade tem um risco específico, sendo assim, é necessário usar o EPI correto para evitar que seus colaboradores corram perigo. Para interação com eletricidade, o ideal é optar por EPI’s específicos contra arco elétrico, como o Nomex®.

 

Agora que você entende as consequências de uma corrente elétrica penetrando no corpo humano e sabe como evitar um acidente, chegou o momento de colocar em prática as dicas de prevenção! Afinal, a segurança dos seus colaboradores é primordial – e a DuPont está com você para garantir qualidade, conforto e tranquilidade para o dia a dia da sua equipe!