Destaque

Mitos e Verdades: Tecnologia Tratada vs. Inerente

Para lidar com as tecnologias de tecidos tratados e de tecidos inerentes, é preciso saber muito claramente as suas diferenças. Por serem muito parecidas, é comum haver equívocos sobre características, propriedades químicas e até valores de compra de mercado.

Diante destas adversidades, a DuPont realizou no dia 30/03 o Webinar “Mitos e Verdades: Tecnologia Tratada vs. Inerente”, apresentado pelo Responsável Técnico de DuPont™ Nomex® na América Latina, Eduardo Moreira. Neste webinar, Eduardo abordou de forma simples e didática alguns pontos em que as tecnologias se conflitam. Confira os principais deles a seguir:

A diferença técnica dos dois materiais, de acordo com a NFPA 2112

Os Materiais Inerentes possuem uma resistência à combustão que é derivada da característica molecular da fibra. Esta resistência está em seu “DNA” – ou seja, na sua composição estrutural e na forma como a fibra é criada. Os materiais inerentes nunca perdem suas propriedades de resistência ao fogo (RF).

Já os Materiais Tratados normalmente entram em combustão facilmente, mas recebem um tratamento químico na sua superfície que os tornam resistentes às chamas. As suas propriedades de RF podem ser removidas durante sua utilização, acidente ou mesmo durante as lavagens.

É possível um material antichamas entrar em combustão?

Pela sua estrutura molecular, para que a aramina (material inerente que compõe o DuPont™ Nomex®) entre em combustão, é necessária uma grande quantidade de calor. E, mesmo assim, a duração das chamas é de poucos segundos. Isso acontece porque a aramina libera pouca quantidade de gás inflamável: ou seja, ao entrar em contato com o oxigênio do ar, libera pouca energia, resultando em pouca chama.

No caso do algodão tratado, a quantidade de combustão é alta. O tratamento químico no algodão inibe a liberação de energia, mas esta proteção se consome com o fogo, deixando a vestimenta exposta. Assim, o usuário fica vulnerável com a exposição ao fogo e a liberação de gases da combustão da proteção química, que é prejudicial à saúde.

A lavagem afeta a proteção de um tecido antichamas?

No tecido inerente, não!

A lavagem não tem o poder de modificar a estrutura química da molécula da aramida de uma vestimenta de Nomex® (a inerência é uma característica molecular). Por isso, a lavagem não afeta a proteção do tecido inerente.

No tecido quimicamente tradado, sim!

O tratamento químico é feito na superfície da fibra, fio ou do tecido. Desta forma, qualquer agente que atue na superfície do tecido e tenha compatibilidade química vai afetar o tratamento, prejudicando o desempenho da proteção do material em relação ao usuário. Para garantir que não ocorra perda da proteção da vestimenta, é necessário conhecer o tipo de tratamento aplicado e os agentes químicos envolvidos em cada lavagem.

Se você está em dúvida se uma vestimenta é feita de material inerente ou quimicamente tratado, existem vários tipos de testes para saber a proteção. Um deles, que é bem simples, é feito com água sanitária. Neste caso, basta apenas molhar a vestimenta em um recipiente com água sanitária e esperar alguns minutos. Se começar a sair bolhas da vestimenta, é sinal de que o material é quimicamente tratado; se não, é material inerente, como o DuPont™ Nomex®.

É possível transformar um material comum em inerente?

É impossível um algodão se transformar em um material inerente porque não há afinidade química na estrutura molecular. O tratamento químico se estabelece na superfície das moléculas do algodão, enquanto a inerência, por definição, é uma característica intrínseca do material (é criada dessa forma).

Como o produto químico não tem afinidade molecular com a fibra para virar um material inerente, seria necessária uma resina que tivesse afinidade com ambos. Dessa forma, a resina atuaria como intermediária entre o tratamento químico e a fibra de algodão. Ainda assim, o processo químico e o alto custo inviabilizam esta opção – e também não garantem a total proteção ao usuário.

Tecidos inerentes são sempre mais caros?

A relação de valor é relativa quando se trata de materiais inerentes, pois há uma questão da durabilidade do material. No processo de aquisição, os produtos feitos de araminas, como DuPont™ Nomex®, que é um material inerente, tem um custo acima das vestimentas de algodão com tratamento químico. Mas os materiais inerentes têm mais durabilidade e são mais resistentes à lavagem e às chamas, garantindo mais sobrevida a médio e longo prazo.

 

Você pode conferir estes pontos e outros assistindo o Webinar no link https://www.eventials.com/Dupont/mitos-e-verdades-tratado-vs-inerente/.

 

Saber as diferenças entre materiais inerentes e quimicamente tratados é fundamental para garantir a segurança do usuário, assim como ter o controle de EPIs da empresa e da qualidade de cada item. DuPont™ Nomex®, que é feito de aramina, garante proteção, durabilidade, conforto e não tem sua qualidade e proteção diminuídas nas lavagens. Sempre é necessário analisar a relação de custo-benefício na hora de adquirir os EPIs e, quando paramos para analisar, concluímos que os materiais inerentes são as melhores opções.