Dicas

EPI para salas limpas: aprenda os pilares da classificação de design e escolha sem medo de errar

EPIs podem trabalhar em sua capacidade máxima ou ter a eficácia reduzida, dependendo para o que são usados. Quando o assunto é vestimentas para salas limpas, não é diferente.

Por isso, estabeleceu-se o chamado Design Qualification, ou em português, Qualificação de Design. Essa estratégia separa e avalia o EPI em 4 pilares diferentes e classifica se ele cumpre mesmo tudo o que precisa para atuar em salas limpas.

Aprender sobre isso é essencial para a sua decisão de compra. Vamos lá?

 

Primeiro de tudo: certifique-se que a roupa da sala limpa selecionada está qualificada para o uso pretendido, avaliada e documentada cientificamente conforme recomendado pelo anexo B do ISO 14644-5. Lembrando que, para EPIs reutilizáveis, isso precisa ser estendido aos subcontratados, fornecedores e prestadores de serviços da fabricante.

 

Vamos dividir nossa Qualificação de Design em 4 partes:

  1. Qualificação do material
  2. Teste de Desempenho
  3. Teste de Estabilidade
  4. Avaliação de Usabilidade

Abaixo, listamos algumas informações importantes de cada área para você.

 

1) QUALIFICAÇÃO DE MATERIAL

O tipo de material e as tecnologias presentes nele são características que fazem a diferença na hora de proteger o trabalhador. Em salas limpas, além de precisarem ser compatíveis com o tipo de esterelização, é essencial que filtrem determinados tipos de particulas. Veja abaixo mais detalhes.

Vestuário para salas limpas

  • Desprendimento de fibras e partículas
  • Compatibilidade com esterilização
  • Nível de garantia de esterilidade
  • Eficiência de filtragem de partículas
  • Eficiência de filtração bacteriana
  • Porosidade
  • Resistividade superficial
  • Resistência mecânica
  • Proteção contra agentes químicos
  • Proteção contra agentes biológicos

Embalagem

  • Desprendimento de fibras e partículas
  • Bioburden
  • Penetração de desinfetantes comumente usados

 

2) TESTE DE PERFORMANCE

Além de fabricar EPIs de qualidade, cada um deles é submetido a diversos testes que asseguram a eficácia de proteção.

Vestuário para salas limpas

  • Teste Body Box
  • Teste de Tambor (Helmke Drum)

Embalagem Estéril

  • Influência do transporte na integridade / esterilidade (ISO 11607-1);

 

3) ENSAIO DE ESTABILIDADE

Aqui, é verificada a capacidade do EPI se manter com qualidade estável e consolidada, mantendo sua condição de proteção durável de acordo com cada tipo de uso que será submetido.

Vestimenta de uso único

  • Propriedades e características no final do prazo de validade

Roupas reutilizáveis

  • Propriedades e características após o número máximo de ciclos de lavagem e esterilização

Embalagem estéril

  • Integridade/esterilidade da embalagem durante o prazo de validade (ISO 11607-1)

 

4) AVALIAÇÃO DA USABILIDADE

Fazer uma avaliação minusciosa sobre a facilidade, eficácia e usabilidade dos equipamento de proteção também é um dos pilares que asseguram a qualidade e segurança de cada material.

Cenários de aplicação

  • Transferir para a área de armazenamento classificada
  • Legibilidade do rótulo
  • Facilidade de abertura da embalagem
  • Desdobramento asséptico de roupas
  • Paramentação de acessórios adicionais como luvas estéreis, máscara facial, óculos de proteção, entre outros
  • Situações de trabalho
  • Segurança e biossegurança
  • Desgaste

Embalagem

  • Apresentação asséptica de vestimentas (múltiplas camadas)

 

Para se aprofundar mais em cada uma delas, consulte sempre o seu representante de vendas ou  acesse o SafeSPEC para encontrar todo o portfólio da DuPont, detalhes sobre os produtos e muito mais.