Inovação

Saiba tudo para se prevenir dos riscos mecânicos!

Se o seu trabalho envolve riscos mecânicos, provavelmente precisa usar inúmeros EPIs para se proteger durante a sua rotina. E isso não é exagero ou apenas um protocolo a ser seguido: utilizar os equipamentos necessários garantem a sua proteção total. Com eles, você executa melhor as suas atividades, se mantém seguro e distante de qualquer perigo.

 

Mas, além de usar os EPIs certos, eles precisam ser de alta qualidade, e todos tem que atender as regulamentações necessárias. Uma luva de Kevlar®, por exemplo, vai muito além da fabricação e comercialização. Ela é feita com uma tecnologia muito específica, passa por inúmeros testes e é envolta em várias normas. Uma delas é a EN388. Hoje, vamos contar tudo sobre ela e suas atualizações. Vamos lá?

 

O que é a EN388?

Esta é a norma que estabelece critérios e parâmetros para proteger você dos riscos mecânicos e pode ser expressa por meio de um pictograma de 5 dígitos que, na verdade, são os níveis de desempenho. Cada um representa um teste contra riscos mecânicos específicos.

  1. Resistência a abrasão com base no número de ciclos necessários para o rompimento da amostra da luva. Sendo assim, o rompimento é quando há um furo ou buraco que atravessa a amostra;
  2. Resistência ao corte de lâminas circulares com base no número de ciclos necessários para cortar através da amostra;
  3. Resistência ao rasgamento com base na força necessária para rasgar a amostra;
  4. Resistência a perfuração com base na força necessária para furar a amostra;
  5. Resistência ao corte por lâmina reta, também conhecido como TDM-100. O nível é representado por uma letra que indica a força necessária para cortar a luva.

 

E o que mudou na norma contra riscos mecânicos?

  • Obrigatoriedade do método ISO 13997 ou TDM-100: é um novo teste mais específico e confiável, que traz o resultado obtido com relação ao nível do corte. Como antes a resistência ao corte era medida apenas com o Coup Test, o que poderia apresentar falhas pois era mais adequado para medir a resistência de luvas com baixa proteção ao corte, com este novo método é possível ter resultados mais confiáveis e que representam a força que a luva suporta até cortar.
  • Inclusão do ensaio de impacto: Neste teste a luva é colocada sobre um bloco de metal com a superfície superior achatada e recebe o impacto de um corpo com superfície plana que pesa 2,5kg. Este objeto é lançado de uma altura suficiente para que haja uma energia de impacto de 5 joules.

Caso a luva passe pelo teste e tenha resistência ao impacto, a letra P é adicionada ao pictograma (6º dígito), logo após a letra que indica o nível de corte testado pelo TDM-100.

 

Confira em detalhes todas as mudanças:

riscos mecânicos

 

Por que a norma passou por uma revisão?

O principal motivo para que a EN 388 tenha sido revisada é o avanço da tecnologia, que trouxe uma melhora significativa na qualidade dos materiais e no desempenho das luvas de proteção. Dessa forma, testes mais precisos foram necessários para garantir que as luvas continuem sendo avaliadas, antes de serem comercializadas. Assim, o uso incorreto de EPIs também é evitado.

Ah, vale lembrar que como a norma é relativamente recente, ainda dá tempo para se adaptar até que o método de corte antigo seja excluído de vez (previsto para a próxima revisão da norma). Por isso, é importante que você se atualize e se adapte o quanto antes para não deixar nada para a última hora, combinado?

 

É por esses e outros motivos que se proteger é tão importante. Segurança máxima não é luxo ou apenas uma ordem a ser seguida. Segurança garante a sua vida, te mantém longe dos danos e ajuda você a trabalhar muito melhor.

Posts relacionados:

Produtos

6 coisas que você precisa saber sobre luvas de proteção

Quando o assunto é proteger as mãos dos trabalhadores, todo cuidado é pouco. Em estudos recentes publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), concluiu-se que 35% dos acidentes de trabalho acontecem nos membros superiores como mãos, braços e antebraços. Dentre eles, acredita-se que 70% aconteçam porque o trabalhador não usava nenhum tipo de proteção, e 30% […]

Leia mais
Produtos

Corte x Abrasão. Será que te contaram tudo que você precisa saber?

No mercado de produtos para a segurança do trabalhador, é muito comum nos depararmos com um EPI que promete proteger contra “corte e abrasão”. A indústria e o marketing tendem a colocar essas características protetivas sempre interligadas e, muitas vezes, como sinônimos. Mas, afinal, quando o assunto é proteção das mãos, existem diferenças significativas entre […]

Leia mais