Dicas

Tudo que você precisa saber sobre proteção térmica antes de escolher luvas

Estudos recentes apontaram que 35% dos acidentes que acontecem com os trabalhadores lesionam os membros superiores, como mãos antebraços e braços. É pensando na proteção e na maior segurança deles que a indústria tem desenvolvido materiais cada vez mais resistentes para inúmeros perigos.

A tecnologia Kevlar®, por exemplo, desenvolvida e aprimorada pela DuPont, oferece não só proteção contra corte, abrasão, arco elétrico e perfuração extrema como também contra chamas, altas temperaturas e perigos de soldagem.

Mais do que ter confiança na marca e no fornecedor, existe uma norma que garante que o consumidor esteja realmente protegido contra os perigos térmicos. É a chamada EN 407.

 

EN 407 e o combate dos perigos térmicos

Essa norma é um requisito básico de segurança para a escolha das luvas dos colaboradores, responsável por garantir toda a proteção que envolva calor e chamas. Dentro da EN 407, ao todo, existem 6 requisitos que podem ser testados para que as luvas recebam um Certificado de Aprovação:

  • Propagação a pequenas chamas
  • Calor de contato
  • Calor convectivo
  • Calor radiante
  • Impacto de respingos de metal
  • Grandes quantidades de metal

 

Os níveis de performance são medidos de 1 (menor proteção) até 4 (melhor proteção). Uma luva só é considerada de qualidade quando ela oferece determinados tipos de resistência. Quanto melhor for o desempenho da luva, mais chances da equipe se manter segura.


Resistência à inflamabilidade
: esse teste é baseado no período em que a tecnologia da luva continua a propagar chama e mantém sua incandescência mesmo depois da fonte de calor ser anulada.

Resistência ao calor de contato: baseado na temperatura, onde o colaborador não deve sentir o calor por, no mínimo, 15 segundos, mesmo depois de exposto a altíssimas temperaturas, entre 100 e 500°C.

Resistência ao calor de convecção: esse teste mede por quanto tempo a luva consegue retardar a transferência de uma alta temperatura, proveniente de uma chama, para as mãos do colaborador.

Resistência ao calor radiante: semelhante ao teste anterior, mas nesse caso a luva é submetida a exposição de calor radiante.

Resistência a pequenos respingos de metal fundido: usado para mensurar o número de gotículas de metal fundido necessário para aquecer determinada luva.

Resistência a grandes massas de metal fundido: aqui é observado o peso de metal fundido necessário para perfurar uma pele falsa, que no teste é colocado logo abaixo da luva avaliada.

 

EN 407

EN 407

 

Da próxima vez que escolher luvas de proteção para a equipe, não coloque a mão no fogo: tenha a certeza que ela cumpre todos os requisitos de proteção térmicos exigidos e que obteve a melhor avaliação do mercado em todos os testes de resistência.

Posts relacionados:

Dicas

Luvas de proteção: protegem do que mesmo?

Com os profissionais cada vez mais bem equipados e protegidos contra os perigos de cada setor, o mercado de Equipamentos de Proteção melhora e se expande constantemente. Só na categoria de luvas de proteção, por exemplo, hoje existem, no mínimo, 7 tipos que servem os trabalhadores de indústrias, médicos, policiais, bombeiros, entre outros. Mas este […]

Leia mais