Dia a Dia

Dia Internacional para Redução de Desastres: não deixe o perigo te atingir!

Para você que pensa que esta data foi criada aleatoriamente em 1989, saiba que a Assembleia Geral da ONU a bolou preocupada na conscientização de riscos e redução de desastres mundiais. 

Você sabe o que é necessário para que um caso seja considerado desastre? 

Ameaças tanto naturais quanto tecnológicas, por exemplo, podem ser consideradas desastre. Assim como quando a população de uma região fica vulnerável. 

Também é bom lembrar dos acidentes no ambiente de trabalho, área na qual a DuPont acerta em cheio quando se trata de conscientizar os trabalhadores.  

Mas, baseados nos desastres naturais, podemos falar de um bem próximo da nossa realidade. Aposto que você já sabe de qual estamos falando. 

A pior crise hídrica da história do Brasil

A questão da  seca enfrentada atualmente no país, por exemplo, já era uma tragédia anunciada entre os anos de 2003 e 2015.

Só para se ter uma ideia, nesse período, as declarações municipais no país devido às secas dispararam 409%, segundo a ANA (Agência Nacional das Águas). Ou seja, “a água está subindo até o pescoço de todos nós.” 

Portanto, tomar consciência e economizar água, além de diminuir o uso de aparelhos eletrônicos, pode ajudar um pouco nesta questão da seca e dos gastos com eletricidade.

Mas, além de fazer a nossa parte, qual é a missão dos governos dentro desta situação crítica? 

Saiba nos 7 tópicos que separamos a seguir  

  1. Eles devem estabelecer uma redução de riscos de desastres levando em consideração planos estratégicos;
  2. Identificar e entender cenários que possam apresentar futuros riscos;
  3. Preparar um plano financeiro considerando os impactos econômicos causados pelos desastres naturais;
  4. Focar na população vulnerável, cuidando do planejamento urbano de informação atualizada sobre riscos;
  5. Identificar, proteger e monitorar ecossistemas naturais para alertar a população sobre riscos iminentes;
  6. Entender e fortalecer a capacidade institucional para detectar falhas na capacidade de adaptação aos desastres;
  7. Incentivar a cultura de ajuda mútua entre os habitantes das diferentes comunidades. E tomar iniciativas de informação sobre futuros desastres na mídia.

Agora que você está por dentro desta data tão importante de conscientização da redução de desastres, queremos saber de você: como foi a sua experiência com este post? O que você faz no dia a dia para reduzir possíveis desastres? Comente aqui embaixo!

Este website utiliza cookies para melhorar a experiência do utilizador e para analisar o desempenho e o tráfego no nosso website. Nós também compartilhamos informações sobre o seu uso do nosso site com nossos parceiros de mídia social, publicidade e análise.